Dados: estruturação para análise e gestão

Estrutura de dados é a organização dos dados na memória do computador ou em qualquer dispositivo de armazenamento para que os dados possam ser usados ​​corretamente. Essas estruturas encontram muitos aplicativos em desenvolvimento e sistemas, alguns dos quais são altamente especializados e usados ​​para tarefas específicas. Podemos processar grandes quantidades de dados por meio de algoritmos usando estruturas apropriadas, como aplicativos de banco de dados ou serviços de pesquisa.

Em uma estrutura de dados, devemos saber realizar um conjunto específico de operações básicas, como inserir, deletar, encontrar elementos, percorrer todos os itens que compõem a estrutura, visualizar e classificar, e tudo se resume a colocá-los em uma ordem específica (números, letras) etc.).

Para analisar informações, as empresas devem ter soluções de tecnologia inteligentes que possam processar registros em tempo real. Em geral, eles usam big data, business intelligence, tecnologia de aprendizado de máquina e contam com o suporte da computação em nuvem para torná-los mais poderosos e versáteis.

A análise de dados é um processo projetado para transformar números e informações em percepções de tomada de decisão. Embora utilizada em diferentes áreas, a tecnologia tem se destacado no mundo corporativo.

Os cenários de transformação digital colocam as soluções de tecnologia no centro da gestão e das operações da empresa. Isso porque a quantidade de dados gerados ao longo dos anos tem aumentado significativamente e a tecnologia tornou possível a leitura desses dados, que está se tornando cada vez mais precisa e complexa. É neste contexto que a análise de dados se tornou uma tarefa indispensável.

Para que haja um direcionamento na análise de dados, é necessário definir um objetivo claro para essa atividade, o que pode ajudar os cientistas de dados a fazer melhor uso de todos os recursos e fazer um bom uso. Defina metas com base no tipo de análise a ser realizada:

  • Análise Descritiva: acompanhamento do status da empesa;
  • Preditiva: previsões sobre como algo vai se comportar;
  • Prescritiva: definição de estratégias a serem seguidas;
  • Diagnóstica: entender como determinado fenômeno se desenvolveu.

O Microsoft Power BI, Qlink e Google Data Studio são alguns exemplos de software que podem ser usados ​​para essa finalidade. Eles podem usar informações de planilhas, indicadores de desempenho e registros de redes sociais para criar painéis que contêm novas visualizações de tendências e pontos-chave a serem considerados pelos negócios.

Sempre que a análise levar a uma mudança, avalie o impacto dessas medidas. Determine se eles podem ter um impacto positivo e, se não, faça outras correções. Portanto, a estrutura da empresa será otimizada de forma mais abrangente.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *