Controle dinâmico do ambiente como estratégia para redução dos riscos de propagação do Covid-19

Um ambiente controlado não se resume ao controle de umidade e temperatura, controlar a pressão diferencial e a concentração de CO2 neste ambiente complementam as medidas de mitigação de vários riscos que encontramos em salas cirúrgicas, salas de aula, escritórios, quartos de hotel e qualquer ambiente que possam transitar pessoas e alocar equipamentos.

Antes de entrar nos benefícios do monitoramento dinâmico do ambiente, preciso explicar o que é isto. Trato de um monitoramento que independe de anotações em planilhas, de fácil instalação no ambiente, pois é um dispositivo de IoT (internet of things), não depende de instalação elétrica e envia sinal para uma plataforma que mostra o resultado das medidas continuamente, 24h por dia 7 dias por semana. Complementa o sistema, o uso de ferramentas de alertas para que os gestores do ambiente possam agir antes que ocorra um problema com as condições ambientais.

Tomando como exemplo uma sala cirúrgica, um ambiente complexo, pode-se afirmar que o controle de ambiente é fundamental para manter a segurança e reduzir os riscos de contaminação, riscos de propagação de fumaça em caso de incêndio e outros riscos, inclusive riscos ocupacionais.

O controle de temperatura e umidade, comum neste ambiente, visa reduzir os riscos de contaminação por vírus e bactérias que se beneficiam de temperatura e umidade para se proliferarem, mas estes não são os únicos riscos.

Controlar a pressão diferencial e mantê-la positiva entre a sala de cirurgia e o corredor se mostra eficiente para evitar a contaminação do ambiente interno da sala com patógenos que possam estar nos corredores que tem interligação com outros ambientes hospitalares. Outro risco importante que é mitigado com o controle da pressão diferencial positiva é o risco de propagação de fumaça para o interior da sala cirúrgica no caso de um incêndio, neste evento manter a pressão positiva da sala em níveis normativos pode evitar uma tragédia.

Manter uma sala cirúrgica com pressão diferencial negativa mitiga o risco de proliferação de um patógeno perigoso que possa estar dentro da sala para outros ambientes, como é o caso de uma cirurgia de um paciente infectado por COVID-19, neste caso a pressão diferencial negativa protege os outros ambientes deste patógeno e encaminha o mesmo para os filtros absolutos do sistema de ar condicionado.

Completando as medidas de mitigação de risco neste ambiente recomendo o monitoramento do nível de CO2 que existe dentro da sala, este monitoramento é importantíssimo para controlar a qualidade do ar que decorre do bom funcionamento dos equipamentos de ar-condicionado que devem executar um nível de troca normativo de todo o volume de ar do ambiente. Níveis altos de concentração de CO2 podem levar a sonolência, dor de cabeça e a desmaios.

Em tempos de pandemia por COVID 19 controlar o ambiente de forma eficiente e pro ativa pode ajudar a redução da propagação do vírus e é pouco divulgado na imprensa, mas cabe ao gestor destes ambientes manter um controle rigoroso desses parâmetros.

Você gestor tem o ambiente do seu hospital, hotel ou escola controlado?

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *