Prever para não perder: preventiva é melhor que a corretiva

Embora cuidados preventivos sejam sempre recomendados, é sempre fácil para as empresas realizarem manutenções corretivas nos equipamentos. E esse tipo de trabalho não planejado requer serviço rápido para evitar interrupções na produção. Afinal, um equiparado é sinônimo de perda.

Portanto, é necessário fazer planos adequados para situações de perigo, acidentes, falhas, etc. As empresas devem ser capazes de superar os obstáculos ao longo do caminho. Mesmo com as mais recentes manutenções preventivas, quando ocorrem imprevistos, o equipamento também pode realizar manutenções corretivas.

A manutenção preventiva e corretiva é o tipo mais comum na maioria das empresas, e a manutenção preditiva ainda levanta a suspeita de muitos gerentes. De um modo geral, a diferença entre eles está no objetivo de cada ação. Isso ocorre porque, como o nome sugere, a prevenção é feita antes que qualquer problema ocorra, e a correção é feita quando certas máquinas ou equipamentos foram impedidos de funcionar. Por outro lado, a previsibilidade inclui inspeções regulares nos equipamentos, buscando antecipar problemas e evitar que ocorram manutenções corretivas, reduzindo custos.

Embora cada manutenção tenha suas particularidades, é importante ressaltar que todas são importantes – e sempre haverá espaço para elas na empresa. A única manutenção que deve ser evitada é a realizada sem planejamento, ou seja, apenas consertar equipamentos danificados sem tentar fazer um plano para ajudar a evitá-los.

Em certo sentido, isso é um erro, geralmente um complemento à confusão. Além da falta de um cronograma claro e lógico para a solução do problema, a má gestão não tem conseguido coordenar o departamento de forma transparente, agravando a situação.

O resultado disso é que por falta de comunicação com o departamento operacional, o responsável não recebeu informações suficientes sobre o estado da máquina. Portanto, na ausência de um sistema de manutenção preditiva, o gerente estava “perdido” e não sabia que o equipamento na linha estava prestes a ser danificado nos próximos dias.

Além disso, comandos ineficientes também podem ser estendidos ao campo econômico, porque o controle de custos é uma das coisas mais importantes no gerenciamento de manutenção. Devido ao acúmulo de ruídos de comunicação e falta de planejamento, a operação não obedece aos procedimentos preventivos e acaba arcando com o alto custo das medidas corretivas não planejadas.

Tecnologia como parceira

Por isso, a tecnologia pode ser uma boa parceira. Software ou aplicativos podem ser usados ​​para catalogar essas informações, agendar períodos de manutenção corretiva e preventiva, histórico de desenvolvimento.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *